Ney Leprevost Neto (2017) Administração – Curitiba – Paraná

Nasci em Curitiba, em 26 de outubro de 1973, filho da professora e psicóloga Jussara e do advogado Luiz Antônio Leprevost.

Meus avós paternos foram Stella Surugi Leprevost e Ney Leprevost, advogado, empresário, prefeito de Curitiba em 1948. Um idealista e grande empreendedor, como construtor e incorporador do edifício Tijucas, o primeiro grande arranha-céu de Curitiba, ali na Boca Maldita. Minha avó Stella, sempre elegante, uma tricoteira de mão cheia, era voluntária às famílias carentes juntamente com suas amigas católicas, entre elas a dona Alzira Pinheiro Machado, a maioria residente no Batel.

João Abrão e Maria Cândida Fanchim Abrão, meus avós maternos eram naturais de Pirai do Sul. Meu bisavós paternos foram José Antônio Leprevost e Angelita Curial Leprevost e os maternos José Moysés Surugi, nascido no Líbano e Assunpta Gugelmin Galli Surugi.

Vale registrar que meu bisavô José Antônio, era filho de um francês George Achiles Leprevost, emigrado para o Brasil, domiciliado em Tijucas do Sul, que na Revolução Federalista de 1894, Capitão do Exército Brasileiro, foi ferido e hospitalizado. E mesmo no leito, foi fuzilado pelas tropas de Gumercindo Saraiva, considerado posteriormente na literatura das guerras internas como herói nacional, a exemplo do Barão de Serro Azul.

Na minha infância, chamado de Neyzinho em lembrança ao meu avô Ney, era muito disciplinado, gostava de leitura, oratória e de minhas atividades como escoteiro, no grupo São Judas Tadeu.

Minha vida escolar começou pelo maternal no Colégio Nice Braga, depois o primário no Bom Jesus, o ginasial no Marista Paranaense e o científico no Positivo. Também fiz Direito, até o terceiro ano nas Faculdades Curitiba e acabei· desistindo. Me formei em Administração de Empresas e hoje estou cursando MBA em Administração Pública e Gestão de Cidades.

Minha primeira atividade· profissional foi aos 14 anos, como repórter esportivo da rádio Globo. “Ney era muito sério, cumpridor de pautas, inteligente e bem-humorado, além de Atleticano!”, descreve hoje o chefe da equipe esportiva, em 1987, o consagrado Carneiro Neto.

Por volta de 1985, aos 12 anos de idade, morando em Londrina e estimulado intensamente, desde pequeno, por minha querida avó materna Maria Cândida, amante incondicional da política, me envolvi distribuindo panfletos durante um comício de José Richa.

Em 1991, me lancei candidato a vereador por Curitiba e frustrei os sonhos, justamente da minha maior apoiadora, vovó Maria Cândida que jamais perdera uma eleição dos seus candidatos apoiados.

Mas, aos 22 anos de idade, fui eleito o mais jovem vereador para a Câmara Municipal de Curitiba. Logo em meu primeiro mandato, idealizei e concretizei a linha de ônibus Inter Hospitais, para beneficiar pacientes vindos de todo o Paraná. Ligando os principais hospitais de

Curitiba e outros importantes centros de saúde. A linha Inter Hospitais consolidou-se como uma alternativa eficiente de transporte coletivo para as pessoas que necessitam de atendimento médico.

Durante meu mandato como vereador, fui convidado pelo governador Jaime Lerner para assumir a Secretaria do Esporte e Turismo do Paraná, tendo sido o Secretário de Estado mais jovem do Brasil, aos 25 anos.

No Governo do Paraná, criei os Centros de Excelência do Basquete, Surf, Ginástica Olímpica, Handebol e do Xadrez com o objetivo de fazer com que as crianças saiam das ruas e encontrem no esporte uma melhor perspectiva de vida e, ainda, o projeto Pintando a Liberdade, de grande relevância social, onde detentos do Sistema Penitenciário confeccionavam kits de bolas, camisetas e outros materiais esportivos, repassados à rede pública de ensino, prefeituras e associações. Os detentos receberam por seus serviços, e ainda tiveram diminuição de pena.

Fui reeleito vereador de Curitiba em 2000 e 2004, como o candidato mais votado de Curitiba e do Paraná. Sou o autor da Lei de Incentivo ao Esporte de Curitiba.

Em 2006, fui eleito Deputado Estadual, reeleito em 2010 e 2pl4. Sou o autor de projetos importantes como a Lei da Ficha Limpa no Paraná e a Lei da Transparência. E ainda, da Lei que garante a Mamografia Gratuita para todas as mulheres se prevenirem contra o câncer, a Lei que institui o direito das gestantes e dos idosos a terem acompanhamento nos internamentos hospitalares e a Lei do Teste do Coraçãozinho, que garante o diagnóstico precoce da cardiopatia. Fiz também, a Lei Anti-Desmanches pra combater a receptação de carros roubados.

Fui líder da Frente Estadual de Saúde e Cidadania e Presidente da Comissão de Turismo da Assembleia Legislativa do Paraná. Trabalhei pela fundação do Partido Social Democrático (PSD) e presidi o Diretório Municipal em Curitiba. Hoje sou Presidente do Diretório Estadual no Paraná.

Fui líder da Frente Estadual de Saúde e Cidadania e residente do Diretório Estadual no Paraná.

Em 2016, como candidato a Prefeito de Curitiba pela coligação Corrente do Bem, passei para o segundo turno, e obtive cerca de 405 mil votos, contra 461 mil do outro candidato e Prefeito eleito.

Em 2018, fui eleito Deputado Federal pelo Estado do Paraná. Assumi e protocolei, no primeiro dia de mandato, vários requerimentos, como o que solicita a liberação de apoio técnico e financeiro para o Hospital Onco_pediátrico Erastinho, a isenção de impostos para pessoas com Síndrome de Down, o fim do auxílio mudança para parlamentares, exigência de ficha limpa para educadores infantis, o fim da aposentadoria para parlamentares que não contribuíram com a Previdência e o fim do voto secreto na Câmara dos Deputados.

Fui convidado pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior a assumir a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Paraná, uma das maiores secretarias do governo. A prioridade serão as áreas focadas em inovação, compliance e combate à corrupção. E, apesar das diversas áreas e projetos envolvidos, elegemos a Infância como a grande meta da pasta nos próximos anos, especialmente na faixa etária entre zero e seis anos de idade. Nossa primeira ação será o lançamento de uma força-tarefa de prevenção e combate ao crime contra a criança. Me preocupo muito com a violência física, sexual, tortura, negligência, abandono e o trabalho infantil contra crianças. Quem maltratar crianças pode ir embora do Paraná.

Sou o irmão mais velho de Alexandre, Felipe e João Guilherme, do qual fui sócio numa empresa de shows, o “Banana Brasil”.

Em minhas atividades sociais, sempre em apoio aos mais humildes e necessitados, ocupei a Presidência da Associação dos Amigos do Hospital de Clínicas.

Casei com a curitibana Carina Zanier, tecnóloga em radiologia. Em 2010, tivemos o nosso primeiro e querido filho, o Pedro, lourinho de olhos azuis, serelepe, curioso, muito falante e também torcedor do Furacão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *