Eulâmpio Vianna Filho (2016) Rádio – Curitiba – Paraná

Meu nome é Eulâmpio Vianna Filho, hoje tenho 76 anos e sou radialista aposentado. Eu nasci no dia 09 de fevereiro de 1940, em…Curitiba (PR). constitui minha família e dediquei minha vida à radio e à televisão. Sou casado com Hermenegilda Pires Vianna e há 54 anos somos felizes, junto com nossos nove filhos e sete netos. Com meus 14 anos no meu pai mandou procurar trabalho para ajudar no sustento da casa, foi quando ao passar na rua Barão do Rio Branco, deparei com a Rádio Cultura, como a emissora estava precisando de funcionário aceitei na função de offece-boy,graças a Moacir Amaral me passando para operador de som ,me aprimorei apela função foi no ano de 1955 Visitei outras emissoras de radio, como Rádio Clube Paranaense PRB-2,recebendo uma proposta do Diretor Artistico Mano Basto para função de Tecnico de som. Na falta do titular Rolf Mario sonoplasta das novelas da B-2 fui agraciado nesta função. Foram as seguintes emissoras que trabalhei…. Rádio Club Paranaense discotecário e sonoplasta das novelas – Rádio Tingui operador de som – Rádio Colombo operador de som sonoplasta de novelas – Rádio Curitibana operador de som – Rádio Independência técnico de som – Rádio Colégio Estadual do PR discotecário e operador de som – TV Paraná Canal 6 sonoplasta, discotecário e diretor de TV e TV Iguaçu canal 4 diretor produções comerciais e diretor de TV chefe equipe técnica Produtora Exclusiva do Pr e Produtora Croma Mix, como diretor de TV e nas coberturas de futebol nacional e regional, basquete, vôlei, corridas no autódromo, shows . tivemos o convite do ator e dirigente Thelmo Faria sonorizar a peça no Teatro Guaira A MORTE DO TREM PAGADOR , infelizmente não tivemos a oportunidade de ver o seu termino, no qual fui substituído pelo competente sonoplasta WALSYL . Na Rádio Cultura a estreia não foi das melhores só existiam discos de acetato que quebravam bem mais facilmente que seus sucedaneos de vinil. Muito nervoso no manuseio dos discos, nos primeiros dias foi uma quebradeira geral, com o passar do tempo fomos pegando as manhas da função. No ano seguinte, aos 15 anos de idade, fui para o PRB-2 já como operador de som. Época dos programas de auditório e dos profissionais polivalentes. Eu era responsável a tudo relacionado ao som, inclusive a orquestra que acompanhava os cantores e calouros. Na falta do sonoplasta titular das novelas, passaram para mim essa responsabilidade. E, a partir de 1956, acabei ficando na função de sonoplasta das novelas radiofonicas. Nessa época, não havia o recurso que temos hoje à disposição. Para vocês terem um idéia, era preciso marcar os discos com lápis de cera, para se saber exatamente onde estava a música, no trecho para um acorde musical. Depois da PRB-2, passei por vários outras emissoras como Rádio Colombo; Rádio Curitiba; Rádio Tingui; Rádio Colégio Estadual do Paraná; Rádio Independência. Mas foi no início dos anos 60, que abriu mais um caminho na minha vida no meio da comunicação. A partir daí dividi meu tempo entre a Rádio Independência e a Televisão Canal 6, sendo a primeira telenovela lançada aqui em Curitiba: O DIREITO DE NASCER de Felix Caignet, obra com direitos adquiridos pela TV Tupi. Foi para mim, a melhor época da TV paranaense, a maior parte dos programas tinha produções locais. “EMOÇÕES QUE VIVI” Eu acabei me aventurando neste mundo, como ator. Fiz pontas em várias novelas de rádio e TV. Mas logo descobri que não era o meu forte, foi um grande alívio para os teles e rádio ouvintes (sic). As gafes ocorriam também com gente conhecida na época, como aconteceu com o cantor Wilson Simonal. Ele me entregou o seu primeiro long-play de lançamento, tudo ia bem até colocar o play-back, que o Simonal iria cantar. Acostumado com disco de 78 rotações, foi nessa velocidade. Até que notei que o disco era 33 rotações. Mas já era tarde e foi um “fuzuê no estúdio. Outro caso que gosto de contar, foi em 1963, quando trabalhava na sonoplastia no Canal 6. Ocupado com uma gravação no studio, com apresentação de Elon Garcia, nem notei que tinha um jovem sentado esperando para ser atendido. Foi quando Aluizio Finzeto, diretor artístico, pediu para dar atenção àquele que estava lançando seu disco. Terminando a gravação do comercia, chamei então” Roberto Carlos, que trazia um compacto embaixo do braço. Essas foram algumas das muitas histórias que tenho para contar, nesses quarenta anos de trabalho nos meios de comunicação do Paraná. À radio e o meu trabalho, minha eternal paixão!

Comentarios 1

  1. Sônia Wendt Nabarro

    Eulâmpio Vianna Filho, estou escrevendo sobre as novelas paranaenses para a wikipédia e preciso de dados. Estou pesquisando na Hemeroteca Digital. Não achei quando foi o final da novela O Direito de Nascer. Ela começou em 3 de janeiro de 1966, e sei que você foi o responsável pela sonoplastia, mas não sei quando terminou. Você teria essa informação? Grata e um grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *