Luiz Carlos Pereira Tourinho (1986 – Memória Viva) Educação – Curitiba – Paraná

Luíz Carlos Pereira Tourinho nasceu em Curitiba no dia 19 de dezembro de 1913, filho de Plínio Alves Monteiro Tourinho e de Ester Pereira Tourinho. Seu pai foi um dos chefes da Revolução de 1930 no Paraná, delegado militar em 1930, constituinte em 1934 e deputado federal de 1935 até 1937, além de um dos fundadores e catedráticos da Universidade do Paraná. Seu tio pelo lado paterno, Mário Alves Monteiro Tourinho, foi interventor no Paraná entre 1930 e 1932, substituindo seu irmão Plínio Alves. Seu irmão Aírton Tourinho exerceu importantes comandos no Exército.
Estudou no grupo escolar anexo à Escola Normal Secundária de Curitiba e no Colégio Duílio Calderari. Fez o secundário no Ginásio Paranaense e ingressou na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, sendo declarado aspirante-a-oficial da arma de engenharia em 1934. Cursou também a Escola de Engenharia da Universidade do Paraná, diplomando-se em engenharia civil em 1938, e a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais.
Como oficial do Exército, comandou o 5º Batalhão de Engenharia e o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) de Curitiba, além de ter dirigido o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná e a Companhia Paranaense de Eletricidade.
No pleito de outubro de 1950 elegeu-se terceiro suplente de deputado estadual no Paraná na legenda do Partido Social Progressista (PSP), não tendo exercido o mandato nessa legislatura.
Autor do Plano Rodoviário do Paraná em 1951 e membro do Conselho Rodoviário e do Conselho de Trânsito do Paraná entre 1951 e 1954, representou seu estado nas reuniões da Comissão da Bacia Paraná-Uruguai, de 1953 a 1954, e organizou a V Reunião das Administrações Rodoviárias, realizada em Curitiba em 1953.
No pleito de outubro de 1954 elegeu-se deputado federal pelo Paraná na legenda do PSP, tendo sido o candidato mais votado no estado. Exerceu o mandato durante toda a legislatura, de fevereiro de 1955 a janeiro de 1959. Nesse período, em outubro de 1955, candidatou-se ao governo do estado, pelo PSP, mas foi derrotado por Moisés Lupion, do Partido Social Democrático (PSD).
Organizador da V Reunião de Consulta sobre Cartografia, realizada em Curitiba em 1960, e representante da Associação Comercial do Paraná no Congresso Rodoviário comemorativo do IV Centenário de São Paulo, participou também de diversos congressos rodoviários, de cartografia, geografia, história e engenharia. Em outubro de 1962, tentou retornar à carreira política, disputando uma vaga na Assembléia Legislativa paranaense, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), mas não logrou êxito.
Já no posto de general, foi interventor federal no Instituto Brasileiro de Reforma Agrária (IBRA), de julho de 1968 a janeiro de 1969, membro da Comissão de Alto Nível da Reforma Agrária em 1968, engenheiro-chefe do escritório do Consórcio Serete-Tecnosolo, em Curitiba, para o projeto final de engenharia da ferrovia Curitiba-Paranaguá, presidente do Instituto de Engenharia do Paraná no biênio 1973-1974 e presidente do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense no biênio 1972-1973 e no seguinte.
Na Universidade Federal do Paraná foi membro da congregação, diretor e catedrático da Escola de Engenharia, membro da Comissão de Reforma da universidade e do conselho universitário entre 1971 e 1972. No ano seguinte, tornou-se presidente do Instituto de Engenharia do Paraná, cargo que ocuparia até 1995. Em 1975, voltou a ocupar a presidência do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense, na qual permaneceria até 1998.
Ao longo desses anos, foi ainda membro do conselho administrativo da Companhia Paranaense de Eletricidade (Copel), conselheiro federal pelo Paraná junto ao Conselho Federal da Engenharia, Arquitetura e Agronomia, vice-presidente da Federação Brasileira de Associações de Engenheiros e membro da Academia Nacional de Engenharia. Integrou também diversas instituições culturais e da área da pesquisa histórica, como a Academia de Cultura do Paraná, a Academia Paranaense de Letras e a Academia Brasileira de História.
Faleceu em Curitiba em 31 de maio de 1998.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *