Aníbal Khury (Sala Exclusiva) Política – Porto União – Santa Catarina

Anibal Khury nasceu dia 18 de julho de 1924, em Porto União na divisa entre o Paraná e Santa Catarina, era de filho Salomão Khury e Wadia Kassad Khury, comerciantes que migraram de Abadiem, em Beirute, para São Paulo. Acabaram por se estabelecer em União da Vitória. Seu pai, Salomão Khury foi vereador presidente da Câmara do município, influenciando Aníbal a trilhar o caminho da política. Fez parte da ala jovem da UDN e aos 24 anos elegeu-se vereador.

Em 1954 mudou para Curitiba com sua esposa Niva Sabóia Khury, com quem teve dois filhos: Ricardo Khury e Aníbal Khury Júnior, ambos se tornaram advogados. Neste mesmo ano assumiu o primeiro mandato de deputado estadual na Assembléia Legislativa do Estado do Paraná (ALEP) e nos anos seguintes foi sucessivamente eleito deputado estadual por quatorze vezes. Foi Primeiro Secretário da Mesa Diretora da ALEP oito vezes.

Com sua grande influência política, em 1965 se tornou presidente estadual do Partido Trabalhista Nacional lançando a candidatura de Paulo Pimentel ao cargo de governador do estado, que resultou vitoriosa. Em 1969, em pleno regime militar, foi preso por atos subversivos em detrimento de causa pública, afastado assim por dez anos da vida política. Neste período Aníbal apoiou a construção do Hospital Pequeno Príncipe e foi Presidente do Clube Atlético Paranaense. Mesmo sem experiência no ramo futebolístico, tentou sanear as finanças e recuperar o clube. Após seu mandato afastou-se voluntariamente, quando disse “Qualquer político, para ser bom mesmo, tem que fazer pós-graduação em futebol!”.

Com a anistia e a redemocratização do país, em 1979, Aníbal voltou à vida política, se tornou secretário geral do Diretório Regional do PP e mais tarde secretário geral do PMDB no Paraná. No ano seguinte voltou a ser reeleito deputado estadual e em 1985 foi eleito Primeiro Secretário da Mesa, e em 1989 foi eleito presidente, presidindo também a elaboração da Constituinte do estado. Novamente em 1991 foi reeleito presidente e em 1995 assumiu a Presidência da Assembléia, tendo 49 dos 54 votos.

Em 1988 foi reeleito para o seu nono mandato de Deputado com votação recorde, e neste mesmo ano foi eleito à Presidência da casa pela quinta vez. No dia 30 de agosto de 1999, faleceu aos 75 anos, no Hospital Santa Cruz, em virtude de uma diverticulite. Foi velado no Palácio Iguaçu, com várias homenagens e sepultado no dia seguinte, no Cemitério Parque Iguaçu.

Em sua homenagem foi nomeado um parque ambiental em Almirante Tamandaré, o centro legislativo da ALEP, uma rodovia e diversas ruas dos municípios do estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *