Sinval Ferreira Martins (2015) Teatro – Mar de Espanha – Minas Gerais

Sou mais conhecido como Sinval Martins, ator, diretor, advogado,  nascido  dia 29 de setembro de 1933 na cidade de Mar de Espanha – Minas Gerais,  filho de José Ferreira Martins e  Elisa Furtado Martins.

Iniciei minhas  atividades artísticas no Colégio Estadual do Paraná, no ano de 1954, dando meus primeiros passos em Artes Cênicas,  produzindo, dirigindo e apresentando naquela entidade de ensino, uma quantidade representativa de shows comemorativos a datas importantes de nosso calendário escolar, bem como trabalhei em quatro peças teatrais, dirigidas pelo professor de teatro da escola. Foram nossos parceiros no inicio de nossa vida teatral  Ary Fontoura, Mauricio Távora, René Ariel Dotti entre muitos outros.

No rádio, também tive presenca marcante, especialmente no rádio teatro, nas emissoras Colombo e Rádio Clube Paranaense, tendo participado de centenas de rádionovelas, que foram um marco na radiofonia paranaense. Minhas interpretações sempre foram muito elogiadas pela imprensa, que na época dava uma cobertura bem expressiva ao setor, criando junto ao público, principalmente o feminino, uma enorme legião de fãs, que permanecem fiéis até hoje, o que muito me gratifica. Houve ocasião, ali na sede da B-2 na Barão do Rio Branco, que as fanzocas, faziam fila que dobrava a esquina, para receber meu autógrafo, tal a popularidade que o rádio me deu.

Fiz muito sucesso em rádionovelas como em O Direito de Nascer, O Homem de Cinzento, Olhai os Lírios do Campo, A Madona das 7 Luas, Coração de Mãe, Coração Cigano, Virgem dos Lábios de Mel e tantas e tantas outras, tendo em todas elas o papel de protagonista. Os autores eram os mais importantes da nossa dramaturgia, como: Oduvado Viana, Oduvaldo Viana Filho, Janete Clair, Érico Veríssimo, Raimundo Lopes e tantos outros .Meu prestígio era tão expressivo, que fui durante muitos anos o campeão de correspondência da emissora, chegando a receber em media 30 cartas diárias, durante anos e anos dentro da atividade.

Na televisão, também tive papel de destaque, produzindo, dirigindo e trabalhando, como ator na maioria das vezes como protagonista, em diversos programas, que se destacaram fortemente no início desse segmento em Curitiba. Foram diversos estilos de programas, tendo como destaque o Tele-Teatro, passando por shows, programas de humor, teatro para adolescentes e até programas de etiquetas. E para coroar todos esses sucessos, fui responsável pelo lançamento da primeira tele-novela da televisão paranaense, não só como ator protagonista como também  produtor e diretor. Essa novela alcançou 95% de audiência, com 2 canais na cidade, recebeu o título de A Última Carícia.

No Teatro de Bolso, um belo teatro particular, situado na Praça Ruy Barbosa, também foram muitos os espetáculos executados, e que fizeram muito sucesso até 1967, como A Camisola do Anjo, Massacre, Alguém falou de Amor, Amanhã Senão Chover, O Noviço, até Teatro de Revista cujos sucessos foram Quiprocó da Galinha, Fofoca no paralalá, Não me Lote, Brasilino. Em todas elas tive participação importante, inclusive como integrante da direção e produção junto com outros colegas.

Em 1964, casei com minha primeira mulher Noeli, uma bela mulher de olhos verdes que me chamou a atenção à primeira vista, durante um baile de máscara no Clube Thalia. Dessa união, que durou quase 25 anos, nasceram os filhos Alexandre e Patricia.

Meu filho casou com Maricléa e dessa união nasceram meus netos  Leandro e Amanda para alegrar mais ainda sua vida.

Após a dissolução do casamento conheci Jussara (Sarinha) minha atual e querida companheira.

Com o casamento de meu neto Leandro, com Renata, nasceram meus bisnetos Arthur e Bernardo, trazendo mais alegria para toda a nossa família.

Eu  não poderia deixar de citar uma das minhas grandes paixões, que é o Teatro infantil. Na Giovani Promoções, onde estive ligado durante mais de dez anos, trabalhei nos maiores clássicos da literatura infantil, como Dumbo o Elefantinho Voador, Brincando de Brincar, números 1-2-3 e 4, Branca de Neve e os Sete Anões, Cinderela, Robin Hood, o Lobo Mau e os Três porquinhos, Eu Só Queria Dizer…O Acampamento, Santa Terezinha, Sítio do Pica-Pau Amarelo, O Descobrimento do Brasil e muitos outros com direção de Giovani Cesconetto, Mara Rangel e também minha

É um punhado de experiências teatrais, que deram muito sucesso e que fizeram da minha vida artística, um exemplo de dedicação, amor e qualidade profissional digna dos maiores elogios, como atestam todos os prêmios e troféus recebidos durante toda a minha tragetória como ator.

E, finalmente, em 2004 e 2005, eu lanço o meu último espetáculo, onde  mesmo apresento como Escritor, Produtor, Ator e Diretor no clássico de Willian Shakespeare ROMEU E JULIETA. Fiz muito sucesso!!!

Um destaque à parte, foi minha participação como publicitário e homem de marketing do grupo Hermes Macedo, durante 23 anos. Ali participei de centenas de comerciais e campanhas publicitárias, recebendo diversas premiações como o Publicitário do Ano.

Após a HM voltei ao teatro, trabalhando nos espetáculos O Palácio dos Urubus, no Guaíra, com direção de Lala Schneider e o Vampiro e a Polaquinha no teatro Novelas Curitibanas.

Foram tantos os programas e sucessos, que até hoje os personagens ainda são lembrados pelo público , que me acompanhava naquela época, destacando-se o querido Barnabino, da série É Proibido Sonhar.

E os autores dos Grandes Teatros então, eram os mais representativos de todo o universo artístico brasileiro, destacando-se aqueles que faziam sucesso no Rio de Janeiro ou São Paulo. Bastava dar certo lá, que eram trazidos para serem mostrados aqui.

Mas, de todas as atividades, a que mais representou em minha vida artistica, foi indiscutivelmente, o Teatro. Foram dezenas e dezenas de espetáculos, na maioria sucessos, que podem ser lembrados como principais: É Proibido Suicidar-se na Primavera, Colégio Interno, O Homem que Nasceu duas Vezes, O Homem que tinha tudo, Sinhá Moça Chorou, A Megera Domada, Artimanhas de Scarpino, O Casaco Encantado e O Santo Milagroso.

Todos esses espetáculos foram realizados através do Teatro de Comédia do Paraná e da Sociedade Paranaense de Teatro, onde tiveram também a direção de Ary Fontoura, Cláudio Correia e Castro, André Villon, Maurício Távora e eu.

Após me afastar da área artística, me dediquei junto com minha atual esposa e fundamos a SÉ ASSESSORIA DE RECURSOS HUMANOS LTDA, onde estou até o momento atual.

Em 2013, lancei o meu livro intitulado “Sinval Martins…ele é assim!” E junto, montei um acervo com minhas memórias, que pode ser apreciado por todos no espaço da SÈ, em Curitiba, próximo da Câmara de Vereadores.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *