Hussein Ahmad Hamdar (2013) – Comércio – Bechtlida – Líbano

Minha vida não foi nada monótona.

Nasci em 1932 em Bechtlida, um vilarejo no Líbano, ou uma aldeia nas montanhas, como diríamos nós patrícios.

Quando eu era ainda pequeno, minha família mudou-se para Beirute. Eu tinha 3 irmãs e 4 irmãos e morávamos numa casa de um único cômodo no bairro de Achrafie.

Muito jovem comecei a trabalhar no jornal Al Liom. Ao estreitar relações com meu chefe, o Sócio-Diretor do jornal, fui convidado por ele a morar em sua casa, com sua família, para evitar o cansativo trajeto diário de trem até a casa de meus pais.

Em 1953 decidi vir ao Brasil temporariamente com o intuito de amealhar US$5,000.00. No Líbano diziam que o Brasil era muito próspero, que a riqueza brotava do chão.

O navio aportou em Santos, mas fixei residência diretamente em Curitiba, onde já habitava há 2 anos um irmão mais velho. As diferenças culturais eram enormes, mas com o tempo desenvolvi uma forte afeição pelo país, e hoje sou brasileiro de coração.

Tive um começo difícil, trabalhei no comércio de frutas e também como ajudante de bar. Na sequência trabalhei como sapateiro, ofício no qual fui muito hábil e demandado, tenho até hoje nas mãos marcas de fixar os sapatos na bigorna. Mais de uma vez, de tão cansado, dormi no chão da sapataria, sobre os pregos que utilizava nos consertos.

Aprendi que vender calçados era mais lucrativo do que consertar, e, aos poucos passei a me dedicar exclusivamente às vendas. Ia a Novo Hamburgo e Franca, onde comprava no atacado, e vendia em Curitiba, no varejo. Tive várias lojas de diversos nomes, mas acabei adotando definitivamente o nome Omar, que sempre me trouxe boa sorte.

Em 1965 voltei ao Líbano para rever minha família. Havia sido recém diagnosticado de um problema cardíaco, e teria que passar por uma cirurgia, que, para a época, era de alto risco.

Lá, ao visitar meu antigo chefe, reencontrei sua filha Inaam, que vi nascer quando morava com a família, e a pedi em casamento. Após uma certa resistência dos pais em razão da idade dela, e da diferença de idade entre nós, nos casamos.

Viemos em seguida para o Brasil. Nos acompanharam meu irmão Ali e sua esposa Ferial, que era irmã de minha esposa Inaam. Nós 4 sempre fomos muito próximos. Moramos juntos praticamente todas as nossas vidas, e sempre nos ajudamos, cuidando uns dos outros.

A cirurgia, conduzida pelo famoso Dr. Zerbini, e com a assistência do ainda desconhecido Dr. Jatene, foi um sucesso.

Os negócios prosperaram, e o foco passou do varejo de calçados, para o setor imobiliário. Tive diversos imóveis no Centro, o que me levou a ficar (exageradamente) conhecido como o “Dono da 15”. Em 1986 concluí a construção do Shopping Omar, bastante conhecido dos curitibanos.

Da minha feliz união com Nina (apelido dado a Inaam pela amiga Alia Haddad, e que praticamente passou a ser seu nome no Brasil), nasceram Cariman, Omar, Ahmad e Dunia, que respectivamente casaram-se com Samir (Haidar), Adriana (Raad), Carolina (Ferreira) e Rafael (Castilho). Dessas uniões vieram respectivamente os netos Mohamad, Nina e Samir; Laura e Henrique; Helena e Felipe; Eduarda e Renata.

Em 1980 inauguramos uma bela casa de estilo mediterrâneo no Hugo Lange, sempre aberta a todos e muito bem frequentada por parentes, amigos e autoridades, e que foi palco de memoráveis festas.

Apesar de ter prosperado, nunca deixei de arregaçar as mangas para o trabalho. Acima de tudo sempre esteve o bem estar de minha família.

Em 1996 fui nomeado Consul Honorario do Líbano em Curitiba, função que cumpri com muito orgulho.

Lamentavelmente Nina faleceu no ano seguinte, após uma breve e agressiva enfermidade. Ela deixou fortes marcas na sua passagem por este mundo, e é unanimemente lembrada com carinho por todos que a conheceram.

Em 2009 recebi com muito orgulho o título de Cidadão Honorário de Curitiba, uma iniciativa do Vereador Omar Sabbag. Já havia, em 1971, recebido também o título de Comendador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *