Rodney Frare e Silva (2015) Turfe – Ponta Grossa – Paraná

Nascido em Ponta Grossa em 1º de agosto de 1948

INFÂNCIA — ESTUDOS ESPORTE
Primário Instituto Pestalozzi – Ponta Grossa
Ginásio Colégio Regente Feijó Ponta Grossa
Científico (2º grau) Colégio Santa Maria Curitiba
Títulos esportivos
Vice Campeão de Basquete – Campeonato Municipal em Ponta Grossa até 13 anos
Adolescência – Basquete
Bi campeão juvenil – pela Soc Thalia 1965 – 1966
Vice campeão estadual pelo Colégio Santa Maria 1965
Campeão estadual pelo Colégio Santa Maria – 1966
Campeão do Campeonato de Calouros Universitário pela UFPR 1967

ESTUDANTE UNIVERSITÁRIO / COXA BRANCA
Seis anos de dias e noites dedicados à Faculdade Medicina da UFPR. Anos tensos, período de ditadura no auge
Foi marcante minha passagem como um dos dois primeiros monitores da Disciplina de Infectologia, estando no 5º ano de Medicina . e no 6º ano dei aulas práticas nesta Disciplina para a PUC – PR
Anos 70 foram anos dourados do Coritiba Foot Ball Club .Vestia a camisa verde da Medicina, e não foi difícil contrariar meu pai atleticano de carteirinha , a passar a torcer freneticamente pelo COXA
FAMÍLIA
Meu pai Luiz passou dos 18 aos 48 anos trabalhando na Prefeitura de Ponta Grossa, a maior parte do tempo como secretário Geral, ou seja, só obedecia ao Prefeito. Sempre impecável, com terno e gravata . Sempre me levava de carro para aula Lembro-me do Morris e do Nash.
Eterno defensor do Guarani de Ponta Grossa com Petronio Fernal e do basquete de Ponta Grossa junto a Borell du Vernay . Mamãe, uma Frare legítima, abnegada ao trabalho e aos filhos. Hoje seria uma estilista, mas na época costureira de mão cheia. Lembro dos vestidos de noivas – vidrilhos, lantejoulas etc.Meu ormão Ronald Frare e Silva – Rony meu ídolo de infância e juventude (14 anos mais velho) Jogava muito o Basket Ball Foi diferenciado neste esporte.
Em 1974 casei com minha esposa, mulher, companheira e insentivadoura Maria do Rossio, após 5 anos de namoro e noivado. Temos 3 filhos , Alessandra, casada com Rafael Gandolfi, mãe de Lorenzo e Leonardo, Adriano casado com Nahima Razuk, pai de Bruno, e Andreza casada com Murilo Bibow, mãe de Pedro.Encontros todos os domingos para almoço e farra na casa do vovô.
LIDERANÇA
Na Residência Médica , 1973 passei a assumir posições de liderança, tendo sido eleito (apertadamente) Presidente da Associação Paranaense de Médicos Residentes. Já especialista nos anos 80 – vice- presidente do Congresso Brasileiro de Pneumologia e na sequência 4 mandatos de Presidente da Sociedade Paranaense de Tisiologia e Doenças Torácicas. Presidente do Departamento de Infecção da Sociedade Brasileira de Pneumologia e em 2010 Presidente do Congresso Brasileiro de Pneumologia e Tisiologia. Por 2 mandatos Chefe do Departamento de Clínica Médica da UFPR
VIDA ACADÊMICA – UFPR
Dois anos após terminar a residência Médica iniciei minha atividade didática como Professor Colaborador na Disciplina de Pneumologia . Em 1980 aprovado em concurso público para Professor de Semiologia Médica, exercendo o cargo de Chefe da Disciplina por 4 anos. Em 1990 passei para a Disciplina de Pneumologia, onde permaneci na Chefia por mais de 10 anos, até há 3 meses atrás .
Mestrado obtido por dissertação e prova de títulos em 1996. Aposentado como professor Adjunto IV. Foram 35 anos ininterruptos de aula, teóricas e práticas , responsável pelos ambulatórios e enfermarias da Pneumologia dentro do Hospital de Clínicas. Neste período foram inúmeras palestras, mesas redondas e conferências em Congressos Nacionais e Internacionais. Muitos artigos publicados em revistas nacionais e internacionais.
HOMENAGENS
Várias vezes Professor Homenageado pelos formandos de Medicina – UFPR. Uma vez Nome de Turma em 2002.
Homenagem especial na Jornada de Clínica Médica do Departamento de ccl Médica da UFPR
Homenagem da Secretaria Estadual da Saúde por pela contribuição na área de Tuberculose
Em 2015 assumi a cadeira número 36 da academia Paranaense de Medicina
PROFISSIONAL
Sempre exerci a medicina com muito amor . Presenciei e participei de toda a evolução da Pneumologia. Curitiba não tinha UTI no anos 70. Fui com colegas a São Paulo para este aprendizado O 1º Respirador artificial do Hospital Nossa Senhora da Graças foi comprado por nosso grupo. Anos difíceis.
Minhas atividades em relação à Tuberculose me fizeram conhecer quase todo o Paraná, fazendo treinamento e supervisão nesta tão importante enfermidade , hoje ainda com 75 mil caso no nosso país. Em1992 um novo desafio, referente às inúmeras complicações respiratórias após Transplante de Medula Óssea . Fui a Seatlle EUA ( Fred Hutchinson Cancer Research Center) para este aprendizado, tendo me tornado o 1º Pneumologista do Brasil com sub especialidade nesta área.
PRAZERES
Leitura Na adolescência com 15 /16 anos lia autores da língua portuguesa mais importantes, em especial Fernando Pessoa . Muitas discussões sobre Freud, Yung, Nitshe, Chopenhauer.
A leitura diária sobre medicina tem me tolhido um pouco, novos livros, nos dia atuais
A música cada vez mais preenche meus melhores momentos
O futebol é ainda um vício . Chego a checar até a segunda e terceira divisão
Por fim o Jockey club , minha e nossa distração de muita emoção mesmo quando o cavalo é de nossos amigos, primos e cunhados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *