Avelino Ricardo Hass (2020) Medicina – Jaraguá do Sul – Sta. Catarina

Nasci em Jaraguá do Sul, Estado de Santa Catarina, em 18 de julho de 1940, nas margens do Rio Jaraguá, em casa de parteira.
Sou filho de Herbert Hass e Wanda Hass. Os avós de meu pai e de minha mãe são naturais da Alemanha. Meu pai nasceu em Blumenau em 1915 e foi chofer de ônibus da Viação Catarinense e posteriormente, proprietário do “Bar Hass”, em São Francisco do Sul desde 1938. Minha mãe é também nascida em Blumenau em 1919; casou-se em 1939 e era no serviço de bar, a responsável pela excelente qualidade do sorvete e “picolé”, que preparava artesanalmente.
Assim, fui criado em São Francisco do Sul, em suas belas praias do Paulas, Ubatuba, Enseada e Baía da Babitonga.
De origem religiosa Luterana, porém fui criado em ambiente religioso católico, pois estudei o primário e início do ginásio em colégio de freiras da Divina Providência, em São Francisco do Sul e Ginásio São Luiz, de Jaraguá do Sul, de orientação Marista. Completei o Ginásio, atual Ensino Fundamental, no Ginásio Santa Catarina de São Francisco do Sul em 1955. Em seguida, cursei o Segundo Grau, atual Ensino Médio, na Escola Técnica de Contabilidade, também em São Francisco do Sul, em 1958.
Além de estudar, nesse período colegial, colaborava como “garçom” no bar e sorveteria de meu pai, junto com meu tio Leopoldo, vulgo “Pé- de-tábua”, irmão de minha mãe. E, também sou agradecido com a presença nessa infância dos filhos do tio Leopoldo e Márcia, que são os primos Gino, Gert, Isa e Rita, criados e vividos no mesmo “teto do Bar Hass”.
Entretanto, na infância gostava deandar de bicicleta, jogar futebol, passear e nadar nas praias Francisquenses.
Tive um irmão, Airton Leopoldo Hass, um ano mais novo, muito estudioso e que ingressou no Exército Brasileiro, como sargento e que teve quatro filhos com Ivonete que são Airton Júnior, Alan, Adriane e Nefertite; vivem no norte do Brasil em São Luiz do Maranhão e Belém do Pará; o Alan Hass é médico. Por parte da família de minha esposa Ivanilde, convivo com alegria com os sobrinhos de Idílio e Edith, que são Carlos Alberto, Eder Luiz, Vera, Eliana, Rosângela e seus familiares.
Em 1959, servi o Exército, no Forte Marechal Luz, em São Francisco do Sul, no 1º/5º Grupo de Artilharia de Costa Motorizada, sob o Comando do Major Osny Vasconcelos, incorporado em 20 de janeiro de 1959, e excluído em 06 de janeiro de 1960, graduado como Cabo Burocrata –Contador. Fiz o concurso para o Curso de Sargento da ESA, em Três Corações – MG; fui aprovado, porém, desisti da empreitada para seguir a vida em Curitiba, em princípio, paraestudar Odontologia, seguindo exemplos de meus colegas que me incentivavam.
Quando cheguei em Curitiba, verifiquei que no meu curso de Contabilidade não havia a disciplina de Química e deHistória Natural (Biologia), para poder enfrentar o vestibular. Tive que cursar tais disciplinas no Colégio Estadual do Paraná, por um ano, no que fui aprovado.
Neste intervalo, morando em pensões, conheci colegas e resolvi fazer o vestibular de Ciências Contábeis e de História Natural. Fui aprovado em ambos e optei pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Católica do Paraná, (muito bem “comandada” pelo Irmão Albano), curso de História Natural, pela qual me formei em 1964, com o título de Bacharel e em 1965, com o Título de Licenciado em História Natural (Biologia). Neste período, em Curitiba, ganhava a vida com auxiliar de Contabilidade em serviços particulares e, posteriormente, na firma de material de construção, Macedo e CIA, sempre em período de meio expediente (pela manhã), pois estudava à tarde.
Por influência de colegas de juventude de São Francisco do Sul que aqui estudavam Medicina, resolvi prestar o vestibular em Curitiba e emFlorianópolis, em 1964; fui aprovado na Faculdade de Medicina de Florianópolis, na Ciências Médicas de Curitiba e na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná. Lógico, optei pela Faculdade da UFPR, cuja turma completou 50 anos de formado em grande festa na Reitoria da UFPR, com apresença de 87 formandos e familiares, agraciados com Diploma Jubileu de Ouro Profissional. Sou o CRM-PR 2715. Aqui, quero mencionar o trabalho dos meus professores Mestres em Medicina com os quais mais trabalhei e fui bem orientado na área de Patologia, como os professores Doutores Afonso Coelho, Rui Leal, Marco Aurélio Cravo, Gilda Kasting, entre outros. No curso de Medicina menciono os Professores Doutores Mário de Abreu, Hélio Germiniani, Reginaldo Werneck Lopes, João Átila Rocha, Acir Rachid, Daniel Egg, Miroslau Baranski, Bruno Maurizio Grillo, além do Doutor José Fernando Macedo, dentre outros; pela dedicação, meus agradecimentos pela orientação e formação. Nesse período, fui Professor de 1º e 2º Grau, concursado pela Secretaria Estadual de Educação do Paraná, em Ciências Físicas e Biológicas, de 1966 a 1992. Fui Professor no Colégio Bom Jesus, Colégio Sion, Escola de Enfermagem Madre Leoni, Colégio Estadual em Araucária e principalmente no Colégio América, hoje Leôncio Corrêa, no bairro Bacacheri por 30 anos; no “América” também fui Diretor do período noturno. Aqui menciono com carinho e amizade dos grandes professores e colegas Francisco, Nereu, Affonso, Walter, Ada, Maria Carolina, dentre outros.
Nos meus 10 anos de curso universitário, competi como atleta de futebol e basquetebol, em jogos estudantis universitários pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da UCPR e, também, jogando basquete pela Faculdade de Medicina junto com os colegas Weber de Arruda Leite e José Cândido Muricy (hoje acadêmicos honorários da Academia Paranaense de Medicina) além de jogar basquete pelo Círculo Militar de Curitiba. Sou torcedor do Botafogo, Palmeiras e Coxa Branca.
Em 1973, terminei residência em Patologia, no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná e em 1974, obtive o título de especialista em Patologia, e em 1977, o título de especialista em Citopatologia. Continuando, em 1985, título de Especialista em Medicina Legal; em 1975, especialização em Medicina do Trabalho. Ainda em 1980, título de especialização em Administração Hospitalar pela Faculdade de Ciências da Saúde São Camilo – SP.
Atuei também como Professor Auxiliar de Ensino de Patologia pelaUFPR, e como Professor de Genética na Escola de Enfermagem Madre Leoni da Universidade Católica do Paraná.
Fui médico Legista concursado, no Instituto Médico Legal de Curitiba de 1976 a 1994, quando me aposentei. No IML trabalhei com os diretores Elias Zacarias e Ernani Simas Alves; fui Vice-Diretor do IML, responsável pelo gerenciamento de serviços do IMLs do interior do Paraná já sob a direção geral do Doutor José Marcos Parreira. Recebi medalha de “Mérito Policial”, Categoria Bronze, por serviços prestados no IML de Curitiba, em 1987. No IML lembro da amizade dos colegas Luiz Carlos Ugliano, Schiavon, Francisco Moraes, Fernando Silveira Picheth e Azuilo Mello (com o colega Mello realizo atividades físicas de academia no Clube Duque de Caxias, no bairro Bacacheri).
Fui Presidente do Departamento de Patologia e Citopatologia da Associação Médica do Paraná; Presidente do Capítulo do Paraná da Sociedade Brasileira de Citopatologia; Membro da Comissão Estadual do Câncer Ginecológico do Paraná (SESA); Membro do Conselho de Especialidades da UNIMED Curitiba/PR; Vice-Presidente do SINDIPAR; Professor Voluntário da Disciplina de Anatomia Patológica da UFPR.
Na Associação Paranaense de Patologia fui membro de diversas diretorias e também, por duas vezes, Presidente. Junto com aSecretaria Estadual de Saúde do Paraná, participamos da Comissão Estadual do Controle de Qualidade dos exames preventivos ginecológicos, o Papanicolau. Aqui, também parabenizo os colegas de trabalho Doutores Luiz Martins Collaço, Samuel Araújo, Joel Takashi Totsugui e Luiz Fernando Bleggi Torres, pela árdua participação neste trabalho de saúde social, além da dedicação de nossa querida secretária da Associação Paranaense de Patologia, Maria de Lourdes Nascimento.
Participei de inúmeros Congressos, Cursos e Simpósios na área de Patologia e Citopatologia, no Brasil e no Exterior.
Fui médico Patologista em diversos hospitais de Curitiba, como Hospital das Nações (cujo proprietário é o colega de turma e muito amigo Dr. Ismar Ricardo Schmidt), Hospital e Maternidade Pinhais, Hospital São Vicente, etc., além de atender várias cidade do Brasil (do Mato Grosso, Pará, Santa Catarina, Rondônia), através do nosso laboratório de Patologia e Citopatologia, o LABORCENTRO LTDA, desde 1975 até 2017, quando vendi o laboratório e me aposentei pelo INSS. Aqui quero agradecer pela convivência, na minha atividade profissional, no laboratório, os colegas fundadores Doutores: Alfredo de Moraes, José Fillus Neto, Lubomira Veronika Oliva e Raquel Wal além, de meus funcionários dedicados Eloizabete, Elizabete, Sandra, Josefa, Iris Canello, Francielli, Liceia, Clarice, Marlene Boa Esperança, Dona Ana e Domingos.
Gostamos muito de viajar, conhecer países de navio e de avião, sim, e inúmeras vezes além do grande Brasil, por onde muito viajamos de carro, trailer e Kombi-trailer. Conhecemos os caminhos da Argentina ao Alasca; de Portugal à Rússia; de Marrocos à Turquia; na Itália nossas maiores lembranças pelas viagens no interior principalmente na pequena cidade de Poggio Picenze que fica próximo a L’Aquila, local a 100 km de Roma, onde mora nossa sobrinha Vera, por parte da Ivanilde, casada com Vincenzo que muito bem, sempre nos recepciona. Na Itália, com encanto, visitamos a ruinas de Pompeia e Herculano, subimos até a borda da cratera do Vesúvio, com fumaça no fundo. Conheci L’Aquila, antes e depois do grande terremoto de 2009. Ainda na Itália visitamos ocemitério dos nossos “pracinhas”, em Pistóia, onde foi enterrado o meu padrinho e tio, (irmão de minha mãe), o cabo Harry Hadlich, da Força Expedicionária do Exército Brasileiro. No cemitério, para o nosso espanto, vimos plantados, por familiares dos falecidos do Paraná, três vistosas arvores “Araucária angustifólia”, o nosso conhecido Pinheiro do Paraná.
Ainda pelo convívio e amizade, pelo 50 anos de atividade médica lembro com carinho dos colegas Ari Leon Jurkiewicz, Renato Araujo Bonardi, Zenon Herrera, José Antônio Mainguê, Paulo Sebrão, Palmiquist entre outros.
Em 2009, fui admitido com a maior honraria da Medicina, que é ser indicado pelo colega, já falecido, Doutor Ari Leon Jurkiewicz com odiploma de Acadêmico Titular da Academia Paranaense de Medicina, na cadeira número 30, do Patrono Júlio Estrella Moreira, que foi meu Professor de Anatomia Humana. Nesta Academia com muita dedicação e trabalho pela mesma, sempre participei de suas atividades socioculturais, bem como de suas diretorias como Secretário, Vice-Presidente e também, com orgulho, comoPresidente (2018 – 2019). Aos meus queridos confrades Renato Araujo Bonardi, Gerson de Sá Tavares Filho, Renato Walmassoni Pinho, Gastão Pereira Cordeiro Filho, Salim Acras, Weber de Arruda Leite, Guilberto Minguetti, Jurandir Marcondes Ribas Filho, dentre outros os meus agradecimentos pela participação em nossa gestão diretiva da Academia Paranaense de Medicina e ainda meu apreço pela dedicação a APM, de nossa querida secretária Hilda Luby Hintz.
Menciono ainda, que recebi certificados de Menção Honrosa pela Associação Médica do Paraná, Assembleia Legislativa do Paraná, além de título “Amigo do Hospital”, pelos serviços prestados ao Hospital Geral de Curitiba do Ministério do Exército.
Minha gratidão ímpar para minha querida esposa Ivanilde, natural de Castro, que conheci em Curitiba, em 1960, quando cursava Enfermagem e que nos casamos em 1966 quando eu estava no terceiro ano do curso de Medicina e ela já trabalhava no Hospital de Clínicas.
A solenidade de casamento e festa de três dias, foi em Jaraguá do Sul, na residência na minha avó Adele e tio-avô Carlos (sim, tio-avô, porque o meu tio, irmão do meu pai foi casado com minha avó, mãe de minha mãe). Relembro com prazer esta festividade com a presença dos nossos amigos fraternos NatalioBarichelo, Nelson Zynger, Abraan, Esmeralda e Maria Paulina, além da saudosa TiaIvonete, e de demais familiares e convidados.
Agradeço também a minha esposa por gerar nossos filhos Iris, Ricardo e Charles; Iris, professora de Genética na Universidade Federal do Paraná; Ricardo, empresário metalúrgico e Charles funcionário do Tribunal de Justiça do Paraná. Alegre pela presença quase diária de três netos; Gabriel e Raphael (filhos de Iris e Michael) e de Pedro (filho de Ricardo e Priscila). Relato também, que adotamos a menor Maria de Lourdes como filha, que era paciente internada, no Hospital de Clínicas, por meses, devido a problemas pulmonares e que não tinha condições familiares de voltar para o interior do Paraná e que faz parte da família, nos dando dois “netos”, Aline e Thiago e já dois “bisnetos” por parte de Aline, o Henrique e o Gabriel.
Muito provavelmente deixei de mencionar alguns fatos que ocorreram nesta minha jornada, porém, o que relato é fiel.
A família, como um todo, estamos levando a vida como a natureza deseja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *