Fernando Antonio Fontoura Bini (2015) Educação – Rio das Antas – Santa Catarina

Pesquisador, crítico de arte, professor universitário, instalacionista e pintor. Na infância muda-se com a família para Curitiba/PR. Gradua-se no Curso Superior de Pintura pela Embap em 1969 e licencia-se em Desenho pela PUCPR, em 1970. Faz Curso Livre de Gravura, no MAM do Rio de Janeiro/RJ em 1967 e no biênio 1968/1969 freqüenta o Atelier de Gravura Poty Lazzarotto. Em 1969 faz o Curso de Conservação e Restauração do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional promovido pelo IPHAN, UFPR e SEEC. Entre 1970 e 1971 estagia na Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (DPHAN) para o Paraná e Santa Catarina. É mestre em Lingüística (Semiologia) pela PUCPR, com a dissertaçãoSemiótica da Arte; a propósito de uma semiótica da Pintura. Em 1991, inicia Doutorado em Estética e Tecnologia das Artes na Universidade de Paris/França, onde também aprofunda seus conhecimentos em Estética, Ciência e Tecnologia das Artes. De 1994 a 1995, ainda em Paris, cursa Metodologia das Artes Plásticas. Extremamente versátil, freqüenta cursos nas áreas de fotografia, cinema, áudio-visual, educação, artes plásticas e desenho industrial. É fundador do Curso de Desenho Industrial no Cefet-PR, onde atua como chefe de Departamento, e também é um dos fundadores do Curso de Desenho Industrial – Projeto  de Produto – da PUCPR.  Ex-professor no Curso de Desenho Industrial e Design Gráfico do Departamento de Design da UFPR, responde pelas disciplinas de: História da Arte, História da Arte Contemporânea, História da Arte Brasileira e Paranaense no Departamento de Artes da UFPR. Integra o Corpo Docente da Universidade Tuiuti. Personalidade carismática, é considerado por seus alunos como uma das figuras mais proeminentes da docência universitária de Curitiba. Ao lado disso, destaca-se como um dos principais nomes da Geração Setenta e um dos pioneiros das linguagens contemporâneas – como instalações – no Paraná. Além de responder pela direção do MIS-PR, exerce as seguintes funções: membro do Conselho Estadual de Cultura, do Conselho Diretor do Cefet-PR; presidente da Associação Brasileira de Semiótica – Regional do Paraná e membro do Conselho Consultivo do MAC-PR. Filia-se a ABCA e ALCA, colaborando com regularidade do Jornal da ABCA. Dedicando-se à pesquisa e crítica de arte desde meados dos anos 1970, é presença constante em comissões julgadoras dos principais Salões de Arte e Mostras de Cinema. Também merece menção o excelente trabalho de curadoria que vem fazendo para mostras retrospectivas, a exemplo de Fernando Velloso e Violeta Franco, ambas em 2001. De 1996 a 1998, é membro do Conselho Estadual da Cultura. Como artista plástico, Fernando Bini é, em início dos anos 1970, um dos primeiros no Paraná a utilizar – no dizer de Roberto Pontual – uma linguagem pós-moderna, já que se serve, em suas pesquisas bidimensionais, de um releitura da pop-art. Suas personagens – nus femininos –pin-up girls têm certo ar de nostalgia da pop britânica, especificamente de Peter Blake, inclusive no tratamento da fatura – mais pictórica do que linear – sugerindo o uso de aerógrafo. Na utilização de silhuetas que se contrapõem às estruturas recriadas de histórias em quadrinhos, aproxima-se do pop-artist norte-americano Kitaj. Serve-se de outros recursos damassmedia como cores vibrantes e palavras originárias de anúncios publicitários, dos luminosos, dos balões de bandas desenhadas e cartazes. Já os signos que utiliza revelam sua cultura semântica remetendo à cabala judaica e hieróglifos do Antigo Egito, entre outros. As composições são, por assim dizer, verbo-geradas, criando uma série de indagações e leituras. Porém, Fernando Bini não se limita a pesquisas bidimensionais. Pertencente ao grupo que sai dos Encontros de Arte Moderna, está entre os pioneiros da arte conceitual no Estado.”

Comentarios 1

  1. DENISE RAQUEL RODRIGUES DA SILVA SANTOS

    Tive a oportunidade e o privilégio de ser aluna do prof. Bini no tempo da Escola Técnica Federal do Paraná no extinto curso de Decoração. Suas aulas de história da arte para mim foram marcantes. Ainda sonho com as imagens projetadas como se tivesse estado naquele lugar e naquela época. Viagens no tempo e no espaço com um guia muuuuuito mais que especial!
    Bom reencontrá-lo, mesmo que virtualmente e saber que está bem e na ativa!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *